A Europa e o hábito do cigarro enrolado

Tempo de leitura: 5 minutos

Menos por preconceito, mas um pouco mais por desinformação acentuada: sacar um papel para enrolar cigarro em áreas públicas no Brasil pode gerar um alarde desnecessário. Afinal de contas, embora a popularidade do cigarro artesanal esteja em alta e em expansão no mundo inteiro, a novidade ainda gera certa resistência no País.

Mas tal estranhamento é algo que, na Europa, o cigarro artesanal não desperta. Afinal de contas, o hábito de fumar por lá se divide bem entre os cigarros industrializados e o cigarro enrolado manualmente, que chegou muito antes. Não à toa, há menos de dez anos, 98% da produção nacional de insumos para o cigarro artesanal era destinada aos Estados Unidos e Europa.

Por isso, vamos entender um pouco mais sobre o desenvolvimento do mercado de sedas para enrolar cigarro na Europa, e como a arte de fumar cigarros enrolados chegou à atual condição. Confira!

A personalização do hábito de fumar

Não se trata de um boicote à indústria tabagista (nem que isso fosse possível), é apenas uma apreciação à arte de fumar. Foi assim que o cigarro artesanal conquistou o mundo.

Na Europa, onde o hábito já está enraizado na sociedade há pelo menos 200 anos (época em que as primeiras sedas para enrolar cigarro foram idealizadas comercialmente), a ideia pegou porque se tratava de uma maneira de personalizar o seu cigarro.

Virou uma maneira de estilizar os próprios gostos, por assim dizer. Afinal é possível encontrar, hoje em dia, misturas no tabaco (como menta, camomila e alecrim) ou no papel para enrolar cigarro, que conferem sabores diversos ao hábito de fumar, e outros tipos de produtos, como filtros biodegradáveis.

Além disso, a química que envolve a produção industrial do cigarro não dá as caras no tabaco natural enrolado no papel. Motivo complementar que fez as pessoas se manterem ou migrarem para a opção artesanal.

A história a favor do cigarro artesanal na Europa

A Europa conta com diversos fatores que permitiram a abertura exponencial do mercado de cigarro artesanal ao longo de sua história.

Além da Espanha ter sido protagonista na importação e exportação de seda para enrolar cigarro há séculos (isso mesmo: séculos), outros países também tiveram sua parte na popularização dos insumos do cigarro artesanal.

Um deles é a legalização da maconha. Países como Portugal, Holanda, a própria Espanha e a Estônia (entre outros) praticam a tolerância em diferentes níveis sobre o consumo da erva — que, por sua vez, ajudou a popularizar os produtos destinados ao cigarro artesanal.

Dessa maneira, o Velho Continente já é aberto às possibilidades criativas e recreativas do papel para enrolar cigarro e outros acessórios. O que a torna o epicentro desse comércio.

Por essa junção de fatores, como a importância comercial do continente em períodos coloniais, o debate mais flexível à legalização da maconha e uma cultura tabagista e manual mais antiga e enraizada na sociedade, enrolar o próprio cigarro é visto de maneira completamente natural por lá, em sua grande maioria.

O século 21 e a expansão do mercado

Além das fronteiras europeias, o cigarro artesanal foi ganhando forma de maneira lenta, mas gradativa, em outros horizontes. No Brasil, mesmo o cigarro de palha é um dos maiores ícones das áreas rurais. A chegada para os centros urbanos é que teve um desenrolar mais vagaroso.

Por isso, se no mercado europeu o papel para enrolar cigarro já era levado nos bolsos do consumidor há muitos e muitos anos, o resto do mundo começou a enxergar, ali, a oportunidade para se desprender da resistência infundada.

O que isso implica? Um vasto comércio que, atualmente, tem oferecido variedade ampla de produtos e insumos para quem enxerga no hábito de fumar, uma arte de aperfeiçoamento e personalização.

Ao fumar um cigarro artesanal, o tabaco deixa de ser o protagonista a ser enrolado na seda, pois além das ervas que citamos anteriormente, é possível fazer misturas até mesmo com outros tipos de tabaco.

Aos poucos, o público encontra e reconhece suas preferências, o que agita o mercado ao proporcionar demanda a eles. Tudo isso a partir do que o berço europeu proporcionou.

O futuro do mercado

Aberto e envolto em entusiasmo pelos empreendedores, o comércio do cigarro artesanal está aprendendo, ainda, sobre o perfil dos seus consumidores fora da Europa.

Se lá as novidades têm cara de notícia antiga, aqui a história é outra. Temos muito a aprender com eles, mas já estamos no caminho certo para desmistificar os prazeres de enrolar o próprio cigarro.

Você já é um adepto dos papéis para enrolar cigarros? Continue nos acompanhando e saiba tudo sobre o assunto!

Facebook Comments

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.